Figo: maduro em agosto, seco a seu gosto!

Share on Facebook146Share on Google+0Tweet about this on Twitter0

figoPassar férias no Algarve é sinónimo de, no final do almoço ou do jantar, poder deliciar-se com um morgado de figo ou um queijo de figo. São doces irresistíveis e personagens principais na doçaria algarvia depois de 500 anos de influências árabes. O seu ingrediente principal é o figo que, quando apanhado fresco, tem o período de vida mais curto de todas as frutas: uma vez colhido não dura mais de 7 dias. Por isso, a colheita do figo é, na sua maioria, feita quando já se encontra seco.

Mas, o figo fresco é naturalmente doce por possuir dois açúcares simples – glucose e frutose, rodeados por outras substâncias nutricionalmente famosas e valiosas: as fibras (mucina e pectina), as vitaminas (A, B1, B2, B5, B6 e C) e ainda alberga potássio, manganésio, cobre, magnésio, ferro, sendo também uma das fontes vegetais mais ricas em cálcio (cerca de 35 mg/100 gramas). Dois figos pesam cerca de 100 gramas, que correspondem a 74 calorias, uma boa escolha para os lanches das próximas tardes. Apresse-se! Sim, em Setembro estão murchos e prontos para secar.

Encontra-se nos figos frescos uma coleção de fitoquímicos muito diversificada, de acordo com a espécie e consequente coloração (preta, vermelha, amarela e verde) que os figos adotam e que estão distribuídos pela pele e polpa.

Os escassos estudos sobre a composição bioquímica dos figos mostram que existem compostos fenólicos na pele dos figosrutina, na pele dos figos de tonalidade escuracianidina (uma das antocianinas), na polpa dos figos verdes e na pele e polpa dos figos pretos.

A cianidina, na natureza, está ligada a uma molécula de açúcar que forma a cianidina 3-O-glucosídeo, o que facilita a sua absorção plasmática, como acontece no figo. Conhecem-se os seus efeitos anti-inflamatórios, anti-obesidade, anti-diabéticos e vaso-protetores, para além da atividade anticarcinogénica já demonstrada por inúmeros estudos in vivo e in vitro.

A cianidina pode reduzir o risco de leucemia, cancro do pulmão, cólon, pele e próstata, por induzir a apoptose, inibir o crescimento e a proliferação das células cancerosas.

Também foram detectados dois tipos de carotenóides: β-caroteno e luteína.

As variedades de coloração mais escura têm um conteúdo maior de fitoquímicos, relativamente às variedades mais claras, e a pele do figo exibe maiores níveis destes compostos comparativamente à polpa.

Lave com cuidado o figo e coma tudo: a pele e a polpa.

Depois desta coleção de verão proporcionada pela Natureza tem a apresentação da coleção outono/inverno apenas com um toque humano, o figo seco.

Reedição do texto publicado a 13.08.2010 em:http://stopcancerportugal.com/2010/08/13/figo-maduro/

Referências: SOLOMON, Anat, et al. Antioxidant activities and anthocyanin content of fresh fruits of common fig (Ficus carica L.). Journal of Agricultural and Food Chemistry, 2006, 54.20: 7717-7723.; DEL CARO, Alessandra; PIGA, Antonio. Polyphenol composition of peel and pulp of two Italian fresh fig fruits cultivars (Ficus carica L.). European Food Research and Technology, 2008, 226.4: 715-719.; CHEN, Pei-Ni, et al. Cyanidin 3-glucoside and peonidin 3-glucoside inhibit tumor cell growth and induce apoptosis in vitro and suppress tumor growth in vivo. Nutrition and cancer, 2005, 53.2: 232-243.

Margarida Vieira

Sobre Margarida Vieira

Margarida Vieira é nutricionista e doutorada em Estudos da Criança na especialidade de saúde infantil pela Universidade do Minho. Os seus interesses de investigação estão centrados na promoção e comunicação para a saúde e na prevenção do cancro. Autora e fundadora do Stop Cancer Portugal - adotar um estilo de vida saudável.