A Força da Natureza: Misturar diferenças

Share on Facebook181Share on Google+0Tweet about this on Twitter0

Misturar as diferenças e saber tirar partido de todos os alimentos, beneficiando da existência de nutrientes diferentes, é encontrar o equilíbrio nutricional que promove a saúde, previne doenças e que está ao alcance de todos.

Basta para isso seguir alguns princípios básicos:

  1. todos os alimentos têm um lugar reservado na alimentação saudável;
  2. nenhum alimento natural deve ser posto de parte, ou ignorado, sem ser previamente testado ou provado, pelo menos uma primeira vez;
  3. não há super alimentos, há combinações poderosas de alimentos, tal como não há super-heróis mas há equipas com estratégias e soluções vencedoras;
  4. a combinação dos alimentos promove uma cooperação entre eles, desenvolvendo-se o que se designa por sinergia nutricional. Assim, misturam-se diferenças próprias da natureza de cada alimento, permitindo o acesso a uma grande diversidade de nutrientes. É que, se há nutrientes que precisam de ser ingeridos em maior quantidade ou mais vezes, outros há que pequenas quantidades são suficientes.

Apesar de haver semelhanças de qualidade nutricional entre alimentos, não podemos inferir que substituir um por outro vai dar exatamente ao mesmo em termos nutricionais, porque não vai.

Uma laranja e um kiwi são ambos frutos. Na roda dos alimentos pertencem ao mesmo grupo, têm teores muito semelhantes de vitamina C; no entanto, têm gradientes muito diferentes de outros nutrientes, outras vitaminas, minerais, fibras e fitoquímicos. O mesmo se passa com tantos outros alimentos.

Hoje conhecem-se milhares de fitoquímicos, mais de 25 000 tipos diferentes de moléculas, compostos identificados em frutos, vegetais, cereais, ervas aromáticas e especiarias com potencial anticancerígeno que exibem capacidades para impedir ou interromper o desenvolvimento do cancro.

Por isso, todos os alimentos que a natureza concede, seguros e livres de substâncias tóxicas, têm um papel importante na alimentação e nutrição humana que, enquanto ciência, estuda o equilíbrio mais ou menos delicado entre qualidade e quantidade dos nutrientes.

A alimentação saudável rege-se pelo equilíbrio e pela variedade dos alimentos, o que não é senão o aproveitar e misturar das suas diferenças, podendo assim originar uma alimentação completa.

E quando isto é conseguido, quando se adquirem hábitos alimentares saudáveis de forma consistente e satisfatória, ocorrem adaptações notáveis no corpo humano de uma forma global, contribuindo para a promoção da saúde.

Ao longo de quase 3 anos, e ininterruptamente de 15 em 15 dias, «a força da natureza» deu a conhecer novas facetas da qualidade nutricional dos diferentes alimentos. Reuniu-se aqui informação atualizada, suportada cientificamente através centenas de estudos, em mais de 66 artigos sobre alimentos, tendenciosamente de origem vegetal, uma lista que está a ficar cada vez maior.

Por razões de carácter profissional e académico, haverá uma pausa de 12 semanas na publicação de novos artigos dedicados exclusivamente aos alimentos e inseridos neste espaço.

«A força da natureza» regressa a 3 de Maio com a mesma vontade e energia que a seguiu até agora: para o motivar, e em português, a saber mais sobre os alimentos e os seus benefícios.

Referências: Mehta RG, Murillo G, Naithani R, Peng X. Cancer chemoprevention by natural products: how far have we come? Pharm Res. 2010 Jun;27(6):950-61.; http://stopcancerportugal.com/2010/03/07/prevenir-o-cancro-todos-os-dias-continuacao/

Margarida Vieira

Sobre Margarida Vieira

Margarida Vieira é nutricionista e doutorada em Estudos da Criança na especialidade de saúde infantil pela Universidade do Minho. Os seus interesses de investigação estão centrados na promoção e comunicação para a saúde e na prevenção do cancro. Autora e fundadora do Stop Cancer Portugal - adotar um estilo de vida saudável.