Cultivar saúde com um metro quadrado de terra

Já pensou na possibilidade em reutilizar um canteiro abandonado do seu jardim, quintal, terraço ou varanda? Ou até mesmo aproveitar um conjunto de vasos que tenha em sua casa e cultivar alguns hortícolas?

Pois bem, comece hoje mesmo a aprender como se faz!

O primeiro aspeto a considerar é o de organizar um metro quadrado de terreno fértil para plantar.
É um espaço pequeno, mas é suficiente para começar.

Se já tem espaço e terra, então, este assunto está resolvido. Se tem, por exemplo, um terraço ou uma varanda, a sugestão vai para a aquisição de alguns vasos retangulares de terracota ou mesmo de plástico. Há vasos de vários tamanhos e pode adquiri-los em qualquer centro de jardinagem. Assim, para cultivar um metro quadrado precisa de cerca de 10 vasos com medidas de 52x20x18cm. No caso de já ter alguns vasos, pode aproveitá-los e começar já a cultivar. Posteriormente poderá fazer um pequeno investimento e comprar mais alguns para ganhar mais espaço.

Ferramentas - clique para aumentar
Ferramentas – clique para aumentar

O segundo aspeto são os utensílios ou as ferramentas para as diferentes tarefas do cultivo. Resolve o problema com uma pequena caixa de jardinagem, um regador e pouco mais. Para a preparação, tanto dos vasos como do terreno, necessita apenas dos utensílios conforme mostra a figura.

O terceiro aspeto a ter em conta prende-se com a escolha da localização do terreno ou onde colocar o metro quadrado em vasos. Selecione o local de acordo com a exposição solar. Tenha em atenção que nas regiões frias deve escolher um cantinho mais virado para Sul, protegido do vento e das geadas. Se possível, a profundidade do terreno deve ser, no mínimo, de 30 cm. Já para o cultivo dos vasos não tem que se preocupar com esta questão.

Está agora em perfeitas condições para pôr as mãos na terra e preparar o terreno. É necessário mobilizar, fertilizar e regar. É assim que  se prepara a terra.

A mobilização da terra consiste em alterar a estrutura do solo, isto é, fazer com que este permita uma boa expansão das raízes das plantas, tenha uma boa captação e circulação de água, assim como arejamento, permitindo o crescimento dos hortícolas.

Durante a mobilização pode optar por fertilizar de imediato a terra.
Como? Aplicando fertilizantes. Há três tipos: os azotados, são de especial importância para as culturas hortícolas de folhas, como a alface e os agriões; os fosfatos, necessários para o bom crescimento das raízes dos hortícolas em geral; os potássicos, que tornam as plantas menos fracas, mais tolerantes ao frio e mais resistentes às doenças. Adquira por exemplo o “Adubo Agrifo SKA” com 10% Azoto, 10% Fósforo, 10% Potássio, à venda na Agriloja.

Por último, regue o que cultiva. É uma tarefa muito importante e deve ser feita em regime rotineiro de manhã ou pela tardinha, uma vez que, nestas alturas do dia, a evaporação da água pelo sol é reduzida. Cada uma das culturas tem necessidades hídricas diferentes, que serão convenientemente explicadas ao longo dos próximos artigos da rubrica.

Todas estas tarefas vão exigir algum esforço de si, o que não deixa de ser uma mais-valia, visto que vai gastar energia como se de exercício físico se tratasse.

Depois da terra pronta para plantar, pode mais facilmente imaginar cores, cheiros e sabores que são possíveis de gerar em apenas um metro quadrado, juntando  o prazer de ter no prato alimentos saudáveis plantados e colhidos por si.

Referências: Biggs, T. (1980). Culturas Hortícolas , horticolas para saladas, couves e nabos, horticolas para aproveitamento de caules, vagens, raizes e frutos, plantas condimentares (37 010/3885 ed., Vol. 10). (F. L. Castro, Ed., & E. a. Ripado, Trad.) Publicações Europa-América , colecção EUROAGRO.; Bonar, A. (1981). Cómo cultivar las hortalizas (Vol. 17). (A. V. Álvarez, Trad.) Barcelona: Editorial Blume. Créditos da imagem:http://gardensofmylife.blogspot.pt/2012/03/vamos-plantar-parte-2-mudas.html

Catarina Santos

Catarina Santos, natural de Alpedrinha (Fundão), licenciada em Nutrição Humana e Qualidade Alimentar (ESACB-2012), atualmente, frequenta a licenciatura de Dietética na Escola Superior de Saúde de Leiria. Interessa-se pela área das Tecnologias de Produção Animal e Vegetal e pela Nutrição ma (...)