Beringela: a cor púrpura

beringela

Sem beringela não há Moussaka na Grécia, Ratatouille na França, Imam Bayildi na Turquia. Entre pratos tão estranhos, para alguns de nós, mas conhecidos, a beringela é indispensável na cozinha italiana e até no sul de Espanha come-se em paté ou panada. E em Portugal? Ao que parece, a beringela não tem tido um lugar de destaque na gastronomia.

E que tem a beringela para nos dar?

Os constituintes principais são: água, fibras insolúveis, folatos, potássio e manganésio e isto significa que, por cada 100 gramas, a beringela apenas fornece 24 calorias. Contém uma variedade de fitoquímicos, descritos por diferentes pesquisas, benéficos na saúde: compostos fenólicos, ácidos hidroxicinámicos e flavonóides que estão distribuídos pela pele e polpa.

Foram extraídos da beringela o ácido cumárico (173mg/100g) e o ácido ferúlico (94mg/100g), a delfinidina (14mg/100g) e a nasunina, encontradas sobretudo na pele. Há estudos que revelaram o potencial da beringela em baixar o colesterol no sangue; outros estudos evidenciaram: actividade antiangiogénica que, ao inibir a formação de vasos sanguíneos, impede o crescimento do tumor e a metastização; capacidade antioxidante suficiente para estar classificada entre os 10 melhores legumes com acção antioxidante; e efeito protector contra a toxicidade hepática (terc-butil hidroperóxido – t-BuOOH) na linha celular humana Hep G2 do hepatocarcinoma.

A beringela deve ser comprada enquanto a pele está brilhante para evitar o sabor amargo que adquire com o tempo. Os próximos meses, entre Julho e Outubro, constituem a melhor altura para a comer. Experimente combinar o sabor suave da beringela com outros alimentos muito ricos em outros micronutrientes como o alho, o tomate, a cebola, adicionando temperos como o azeite, as ervas ou as especiarias com travos fortes.

Para saber mais sobre legumes da época, consulte posts relacionados:

Margarida Vieira

Margarida Vieira, nutricionista, licenciada em Ciências da Nutrição (FCNAUP-1991), mestre em Nutrição Clínica (ISCSEM-2008). Doutorada em Estudos da Criança, na especialidade de saúde infantil pela Universidade do Minho. Membro efetivo da Ordem dos Nutricionistas com a cédula profissional n (...)