Apoio Religioso e Espiritual em doentes com cancro

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on Twitter

Apoio Religioso e Espiritual em doentes com cancro

espiritualidade” «traduz uma dimensão do homem, enquanto é visto como ser naturalmente religioso, que constitui, de modo temático ou implícito, a sua mais profunda essência e aspiração»  George Brown

Apesar do tratamento médico, existe hoje um crescente reconhecimento de que é necessário trabalhar as dimensões de religiosidade/espiritualidade em doentes com cancro avançado.

A religião é definida como um conjunto de crenças e práticas associadas a uma doutrina e a espiritualidade é definida como uma busca de um último sentido através da religião ou outro caminho.

De 50 a 95% dos doentes com cancro vêem a religiosidade/espiritualidade como um factor importante nas suas vidas. A investigação demonstra que existe uma relação entre estas variáveis e a melhoria da qualidade de vida dos doentes ao lidar com a doença. Mas a forma como o doente percepciona essa religiosidade/espiritualidade, pode, também,  estar associada a um decréscimo da qualidade de vida e ao aumento de mau estar psicológico. Basta que o paciente, por exemplo, interprete a doença como um castigo divino. Por isso é extremamente importante dar atenção e trabalhar as necessidades espirituais com os doentes oncológicos. Estar atento  à dimensão religiosa e espiritual de cada doente pode contribuir para o seu bem- estar físico, psíquico, social e espiritual.

Fonte: Balboni, T., L. Vanderwerker, et al. (2007). “Religiousness and Spiritual support among advanced cancer patients and associations with End-of-Life Treatment Preferences and Quality of life.” Journal of Clinical Oncology 25 (5): 555-560.

André Louro

Sobre André Louro

André Louro é especializado na área da psicologia da saúde. Doutor pela Universidade Autónoma de Barcelona. Colaborou no Stop Cancer Portugal até Abril de 2013 com a rubrica "Espaço Psi".