Integral ou não integral? É uma boa questão!

Integrais SA

Certamente já ouviu falar da importância dos alimentos integrais na nossa alimentação diária. Sabe mesmo identificar um alimento verdadeiramente integral quando vai às compras?

Então, o que é um alimento integral?

Entende-se por alimento integral qualquer alimento que não passou pelo processo de refinação e que mantém a sua estrutura original intacta, bem como os seus nutrientes. Há, portanto, conservação de todos os componentes originais, incluindo as cascas e as estruturas protectoras, ricas em nutrientes, como vitaminas (vitaminas do complexo B e vitamina E), minerais (selénio, zinco, cobre, ferro, magnésio e fósforo) e fibras. São exemplos os grãos e os cereais, como o arroz, o trigo, a aveia e o centeio, bem como os seus derivados, o farelo, a farinha e o pão.

Alimento integral: sabia que há vários exemplos que nos fazem cair em erro muitas vezes?

Vejamos: as bolachas integrais. Muitas delas contêm, na sua composição, farinha integral que apenas tem um grau de refinação inferior ao normal; para além disto, ainda têm uma grande quantidade de gordura, na sua maioria gordura trans (serve para prolongar a vida das bolachas e de outros produtos alimentares, mas diminuem a nossa por aumentarem os níveis de colesterol total e LDL, para além de prejudicarem as membranas celulares) e/ou açúcar.

Quanto à farinha integral propriamente dita, não é raro encontrar-se referido em primeiro lugar, na lista de ingredientes, a farinha branca e só depois (em menor percentagem) a farinha integral. De facto, esta farinha não é integral.

E os cereais de pequeno-almoço? São inúmeras as opções – uns integrais, outros nem tanto. Também se aplica o anteriormente descrito, em relação às bolachas. Para além de que muitos deles têm, como um dos principais ingredientes, o açúcar.

Outro exemplo é o pão: quando integral apresenta uma textura e cor diferentes, sendo mais rígido, mais escuro e demora mais tempo a mastigar. Existem pães que são vendidos como integrais sem o serem. Desconfie daquele pão “integral” mais claro. Preste alguma atenção a estas características na hora de fazer a sua escolha.

Portanto, nem todo o produto que se diz “integral” no rótulo o é verdadeiramente. Assim, já sabe: leia sempre a informação nutricional contida no rótulo, atendendo aos ingredientes para que possa avaliar se é mais vantajoso consumir o produto integral ou a sua variante “normal”, não esquecendo que os “falsos integrais” até são mais caros.

Susana Arranhado

Susana Arranhado, natural de Lisboa, Licenciada em Ciências da Nutrição, pelo Instituto Superior de Ciências da Saúde Egas Moniz. Mestranda em Cuidados Paliativos, pela Faculdade de Medicina do Porto. Frequentou o curso Teórico-Prático de Gastroenterologia e o Curso Prático de Neonatolgia (...)