A Morte e o Luto ainda são tabus

Na nossa sociedade, na maior parte das vezes, a morte e o luto são temas tabus. Há receio em falar-se da morte. Mas, como todos sabemos, o sofrimento e a morte fazem parte da vida do Homem. Quando alguém perde uma pessoa querida, começa o “processo de luto”, que é a forma de assimilar a perda.

Muitas vezes, o processo de luto resolve-se espontaneamente. Porém, este pode complicar-se quando os factores pessoais interferem: estar num momento de maior vulnerabilidade, passar por um processo de dificuldade de separação (divórcio), entrar numa situação circunstancial (fenómeno que se desenvolve de repente) ou sofrer várias perdas num curto espaço de tempo. Conhecer o processo de luto, a sua evolução e o que poderá dificultá-lo, irá fornecer ferramentas para lidar melhor com o problema.

Tanto os profissionais de saúde como os familiares quando se deparam com a morte de alguém, muitas vezes, não sabem como gerir as emoções. A Psicologia cria condições para que se facilite a expressão emocional, a reflexão, e assim beneficiar quer os familiares, quer os profissionais de saúde.

Falando da morte dá-se mais valor à vida.

Referência Bibliográfica: Neimeyer, R.A. (2002): Aprender de la pérdida. Una guía para afrontar el duelo. Barcelona: Paidós

André Louro

Doutorado pela Universidade Autónoma de Barcelona. Especialista em Psicologia Clínica e da Saúde e com especialidade avançada em Psicologia Comunitária pela Ordem dos Psicólogos Portugueses. Vários artigos publicados na área de Psico-oncologia. Tem interesse pelo estudo do comportamento huma (...)