Diet vs Light

Post convidado da nutricionista Susana Arranhado sobre os produtos Diet e Light.

Houve na última década um aumento da oferta de “novos” produtos alimentares, como são exemplo os produtos diet e light.

Numa ida ao supermercado é possível perdermo-nos nas inúmeras opções de escolha. Isto acontece porque na actualidade existe uma grande preocupação, da nossa parte, em procurar alimentos que nos ajudem a ter hábitos alimentares saudáveis.

Será que muitos de nós têm dúvidas sobre o que são de facto estes produtos? E para que servem?

Nos alimentos diet, um ou mais ingredientes são eliminados da fórmula original. Desta forma, num alimento diet, ou não há açúcar adicionado, ou gordura, ou cloreto de sódio (sal de cozinha), glúten ou algum outro ingrediente, não significando necessariamente que tenha menos calorias. São, portanto, destinados a pessoas que possuem alguma patologia, como diabetes, hipertensão, doença celíaca.

O termo light refere-se a um alimento ou bebida que contém menor quantidade de uma determinada substância quando comparado com o produto original. Podem ser calorias, açúcar, gordura, sal, álcool ou cafeína, entre outros. Por exemplo: comparando as batatas fritas comuns com as light, verificamos que estas têm menos gordura (podemos encontrar mencionado no pacote -25%, -35% de gordura entre outras percentagens de redução). 

Nos produtos rotulados de light, as substâncias não são totalmente eliminadas, contrariamente aos alimentos diet, uma vez que não são produzidos com a finalidade de atender a certas patologias. Contudo, para que um alimento seja considerado light, pelo menos 25% das calorias ou outras substâncias envolvidas devem ser reduzidas.

É de salientar que os componentes retirados são substituídos por outros, para manter as características do produto, e este pode ser tão ou mais calórico do que o original.

Mas então, os alimentos light e diet podem contribuir para um estilo de vida mais saudável? Sim, quando enquadrados nas necessidades pessoais de cada indivíduo: um diabético beneficiará com um tipo de alimento diet, sem açúcar adicionado; um hipertenso beneficiará de um alimento diet sem cloreto de sódio; uma pessoa com restrição de cafeína poderá beneficiar de uma bebida light com menos teor desta; e por aí fora.

Porém, a palavra certa é moderação! Leia sempre os rótulos, seja o primeiro e o melhor promotor da sua própria saúde!

Susana Arranhado
Licenciada em Ciências da Nutrição pelo Instituto Superior de Ciências da Saúde Egas Moniz

Referências bibliográficas: Codex Alimentarius Commission. Alinorm 97/22, Appendix II, Guidelines for Use of Nutrition Claims.
Codex Alimentarius Commission. Alinorm 97/22, Appendix II , Table of Condition for Nutrient Content (Part. A).
www.asae.pt

Susana Arranhado

Susana Arranhado, natural de Lisboa, Licenciada em Ciências da Nutrição, pelo Instituto Superior de Ciências da Saúde Egas Moniz. Mestranda em Cuidados Paliativos, pela Faculdade de Medicina do Porto. Frequentou o curso Teórico-Prático de Gastroenterologia e o Curso Prático de Neonatolgia (...)