Fazer exercício “verde”, faz bem

É cada vez mais evidente que a utilização de espaços verdes melhora a saúde mental. Ver um jardim a partir da janela ou entrar em contacto directo com a Natureza pode ajudar a população a reduzir os problemas associados à inactividade, obesidade, doenças crónicas e mentais.

O envolvimento regular com espaços verdes está relacionado com maior longevidade e redução de risco de doenças. Cada vez mais existe maior associação entre o espaço verde e a saúde.

Recentemente foi publicado um estudo em que se demonstra que apenas cinco minutos por dia de actividade “verde”, como caminhar, fazer jardinagem ou andar de bicicleta melhora o humor e aumenta a auto-estima. O contacto com a Natureza pode levar a um melhor estado emocional e, a longo prazo, prevenir doenças.

No entanto, mais de metade da população mundial vive em aglomerados urbanos, o que torna a convivência com a Natureza bastante rara. É necessário desenvolver mais espaços verdes nas cidades e incentivar mais as pessoas a utilizarem esses espaços.

Muitos dos problemas de saúde da população mundial estão relacionados com o estilo de vida sedentário. Começar com a inactividade física desde a infância até à fase adulta poderá trazer consequências irreversíveis, como o aparecimento de doenças e a diminuição da esperança média de vida. Está comprovado que a actividade física melhora a saúde física e mental de todos os grupos etários. Assim, o exercício “ verde” que consiste em actividades em espaços verdes pode gerar ainda um efeito mais positivo ao nível da saúde, acumular conhecimento ecológico, promover laços sociais e influenciar comportamentos saudáveis.

Faço um apelo a todos para que despendam de algum tempo a fazer uma actividade “verde”.

André Louro

Sobre André Louro

André Louro é especializado na área da psicologia da saúde. Doutor pela Universidade Autónoma de Barcelona. Colaborou no Stop Cancer Portugal até Abril de 2013 com a rubrica "Espaço Psi".